Blog de Viagens

Category Archives: Dicas

Sempre me perguntei como o turismo no Brasil é tão caro?!?! Porque um país como o nosso, de diversidade continental, com quase 7.500 quilômetros de costa de lindas praias, flora e fauna únicas, culinária e paisagens que arrancam suspiros de visitantes, não consegue decolar?

Seria talvez por termos um dos turismos mais caros do planeta? Ou por falta de apoio do Governo e da criação de um plano nacional nesse sentido?

Fato é, que nem mesmo a escolha do nosso país para sediar Copa do Mundo e Olimpíadas funcionou para alavancar o turismo brasileiro e melhorar nossa imagem no exterior.

Para se ter uma ideia desse “turismo no Brasil tão caro”, encontra-se quase que frequentemente nas agências de viagens pacotes promocionais para países como Estados Unidos e alguns da Europa, já inclusos passagem aérea, hotel e até mesmo carro alugado pelo preço de uma simples hospedagem em hotel 3 estrelas no Brasil. Quem nunca viu aquelas promoções fantásticas em sites de viagens, ou aquelas brincadeiras de que “é mais barato comprar passagem, hospedagem e um iphone novo lá nos EUA, do que comprar o Smartphone aqui no país.

Como exemplo, um pacote de quatro dias, com hotel e voo para o Rio de Janeiro custa 1,5 mil euros (cerca de 4,5 mil reais) numa agência alemã. Em contrapartida, o mesmo pacote para Pukhet, na Tailândia, custa a metade: cerca de 700 euros. Em voo direto, os dois destinos levam cerca de 11 horas a partir de Frankfurt.

Ou seja, quando se compara as opções de turismo no Brasil, levamos um susto. Hoje, viajar para o exterior custa praticamente a mesma coisa que passar uma semana no Nordeste Brasileiro ou Sul do País. E olha que o governo brasileiro criou diversas formas de frear os gastos no exterior, aumentando IOF por exemplo. O turista, antes de mais nada, é muito pragmático e faz a conta. Se chega-se à conclusão de que a Tailândia é mais barato do que o Brasil, bora para a Ásia, e não para a América do Sul.

Segundo a OMT – Organização Mundial do Turismo, o Brasil foi o 42º do mundo em número de visitas de estrangeiros, com aproximadamente 6.4 milhões de turistas. Mesmo com a Copa do Mundo, ficamos atras de países como Ucrânia (12.7 milhões) e Bahrein (10.4 milhões). Vale lembrar ainda, que em 2012 e 2013 ficamos atrás dos nossos vizinhos hermanos Argentinos.

Ou seja, se compararmos nossos vizinhos, hoje o Brasil encontra-se à frente, mas muito aquém de seu potencial turístico, guardadas as proporções e belezas do nosso país. Não restam duvidas que pelo nosso tamanho e atrações que poderíamos proporcionar, deveríamos receber muito mais turistas em comparação aos demais países da América do Sul, fato este que não acontece.

Economicamente falando, somos a 10ª potência mundial, gerando recursos ligados ao turismo de aproximadamente US$ 77,4 bilhões. Mas olhando o cenário mundial, também ficamos para trás na industria turística mundial. Segundo dados da OMC, a Industria do Turismo em 2015, ficou atrás apenas da Industria Petroquímica e da Industria de Produtos Químicos, gerando uma movimentação financeira de US$ 7,6 trilhões e uma exportação mundial de US$ 1,52 bilhões.

Industria do Turismo em bilhões

E aqui vale uma observação importante: Trata-se da única “economia verde” entre as 5 maiores industrias mundiais, capaz de gerar o mínimo de impacto ao meio ambiente, como amplamente discutido na RIO +20, devendo ser enxergado pelos gestores públicos como um grande fator de desenvolvimento econômico. A título de exemplo, vale novamente mencionar a Ucrânia, que assim como a Turquia, incluíram ações de incremento ao turismo em suas agendas e vêm atraindo um número crescente de visitantes. Entre 2006 e 2016 a Ucrânia e a Turquia aumentaram a recepção de turistas de 19 milhões para quase 40 milhões juntos e ficaram entre os 10 principais destinos do mundo.

Ocorre que, na contramão desses fatos, o Governo Brasileiro diminuindo drasticamente seus investimentos no Ministério do Turismo desde 2011, com um pequeno aumento durante a Copa do Mundo, mas com um drástico corte em 2015 de 73%, exatamente 1 ano antes das Olimpíadas, inviabilizando qualquer investimento significativo no setor.

Mas para especialistas no assunto, há problemas que vão muito além da questão orçamentaria. Entre os principais fatores que prejudicam o turismo brasileiro estão a distância em relação aos grandes polos emissores, como EUA e Europa, a gigantesca carga tributaria, que acaba elevando o preço das passagens, hotéis e serviços, a falta de investimento publicitário no exterior, a valorização do real (para com nossos vizinhos) e a falta de acordos com países no que se refere a necessidade de visto.

Destaco nesses pontos, a nossa carga tributária! Sendo uma das maiores cargas tributárias no mundo, o impacto gerado no preço final das passagens, diárias de hotel, cardápios entre outros serviços é avassalador.

Some a isso, o fato dos nossos vizinhos não possuírem capacidade para enviar turistas ao nosso País, como ocorre no por exemplo entre os países europeus.

Assim, não nos resta outra alternativa que desonerar o setor, com a diminuição da carga tributaria que aflige as empresas aéreas, hotéis, restaurantes e toda a cadeia do turismo. Uma mudança radical de mentalidade de nossos governantes, com investimentos em infraestrutura, desoneração da carga tributária, desenvolvimento de políticas públicas de incentivo ao turismo e divulgação do nosso país mundo afora, são as alternativas que nos restam para alavancar o turismo nacional.

Tem alguma coisa errada e o governo precisa rever a sua política para o setor.

Curiosidades sobre o turismo mundial


Todo mundo que viajou ou pretende viajar para os EUA já deve ter ouvido falar nos Cupons de Desconto. Nas terras do consumismo, eles são bem conhecidos e com enorme aceitação em quase todas as lojas.

E seu uso é muito simples. Antes de viajar, o caboclo sai à procura dos Cupons de Desconto pelos sites mais diversos (das marcas ou especializados em cupons) e vai imprimindo todos aqueles que pretende usar. Depois, basta apresenta-lo no caixa na hora de efetuar o pagamento das compras e voalá, os descontos são concedidos na hora. 

Nas ultimas viagens, literalmente levei uma pasta de cupons de desconto. Eram tantos que na maioria das vezes acabava por me perder naquele mundo de papeis que desistia de usá-los. 

Wallet App

Wallet App

Mas com o surgimento do aplicativo Wallet da Apple que funciona como uma carteira móvel, carregar esse cupons se tornou algo muito mais simples e fácil de usar. Nele, você pode armazenar no seu telefone não só os tickets dos Cupons de Desconto, como cartões de fidelidade, cartões de presente, ingressos de cinema, passagens aéreas, reservas de hotéis e muito mais – tudo em um só lugar.

Funciona como um organizador, ideal para viajantes. O Wallet diminui a papelada que temos que carregar e facilita em muito na nossa vida, mantendo em um só lugar nossas reservas, bilhetes, cartões de fidelidade e demais itens.

Por isso, vou utilizar este post para tentar explicar o passo a passo para adicionar os cupons de desconto no app Wallet e lhe ajudar a economizar uma boa grana nas compras na próxima viagem para os EUA.

Quem tem?
O app Wallet é nativo (aplicativo que vem de fábrica) e está disponível para iPhone ou iPod touch usando iOS6 ou mais atuais. Ele deve aparecer como um dos aplicativos na tela inicial.

Por que você deve usá-lo?
Além da enorme conveniência como já citado, (chega de carregar papéis com reservas de hotéis, bilhetes de embarque, pastas com cupons de descontos, cartões de fidelidade, que acabam por se perder nas bolsas e carteiras), o app é super fácil de usar. Basta apresentar o ticket virtual diretamente do seu celular ao caixa e/ou atendente, que realizará a autenticação do mesmo através de um leitor ótico .

O que é isso?
Realmente pensar nisso como uma carteira. Seu Passbook começa vazio e você decide o que colocar dentro de sua “carteira”. É simplesmente um aplicativo de armazenamento. Você terá que adicionar promoções e cartões de aplicativos de terceiros e sites.

Como você adicionar os Cupons de Desconto na Carteira Digital?

O app começa vazio e é você que deve inserir os tickets na “carteira”. Procure pelo aplicativo Wallet em seu celular. Um ótimo local para achar os cupons é através dos aplicativos de cupons de desconto. Procure na Apple Store por app utilizando o termo “Coupons” (cupons em ingles), e lhe será mostrado diversos app com essa finalidade. Alguns exemplos de app são: The Coupons App, Coupons.com App, Orlando Coupons App e por ai vai. Após instalar, basta procurar pelas ofertas que você verá uma opção “Adicionar ao Passbook” (passbook é o nome antigo do app Wallet), ao lado de cada um. Escolha a oferta que você gostaria e, em seguida, clique em “Adicionar” ou Salvar na Wallet. Agora o ticket do seu Cupom de Desconto vai aparecer na sua carteira virtual.

adicione-a-passbook

O que mais você pode acrescentar?
Hoje, quase todas as companhias aéreas permitem que você armazene seu cartão de embarque no Wallet. Com isso, temos uma coisa a menos para nos preocupar durante a viagem sem ter que fazer malabarismos com as bolsas, malas, carteiras. E para adoçar o negócio, quando você chegar ao aeroporto, com o serviço de localização ativado, o Wallet detecta a sua localização e seu cartão de embarque aparece na sua tela de bloqueio, pronto para ser usado a um toque de dedo.

Cartão de Embarque da Tam

Cartão de Embarque da Tam

Quem mais usa Wallet?
No Brasil, a maior adesão ao app ainda são das Cias. Aéreas. Quase todas já disponibilizam seus bilhetes pelo aplicativo. Mas a cada dia mais empresas começam a permitir a utilização dos tickets para o Wallet. Nos EUA hoje, além dos Cupons de Desconto, você já pode baixar aplicativos habilitados para o Wallet como a Starbucks, Target, The Home Depot, Pinkberry, Sephora e Walgreens; comprar ingressos que são salvos diretamente no app pelos sites de bilhetes como Fandango, Ticketmaster.

Algumas dicas de uso do Wallet:  
• Se tiver problemas para leitura dos tickets dos cupons de desconto, pode ser por causa do nível de brilho em seu telefone. Para ajustar, vá até “Configurações”, clique em “Tela & Brilho” e use o controle deslizante para tornar a sua brilhante exibição.

• Se os tickets baseados em localização (como cartões de embarque) não aparecem automaticamente na sua tela de bloqueio, pode ser por que “Serviços de Localização” esteja desativados. Vá para “Configurações” e selecione “Privacidade” para acessar o status de seus Serviços de Localização e o ative.

 
• Para apagar os cupons de desconto vencidos ou já utilizados, ou qualquer outro ticket? Clique no ícone “i” de informações no canto inferior direito do ticket que surgirá a opção para apagar.


Passou a valer em Julho de 2013 uma nova regra para a validade do passaporte do brasileiro que pretende embarcar para a Europa. A partir desta data, tornou-se necessário para ingressar em 26 países do continente Europeu, que o documento tenha o prazo minimo  de 03 (três) meses de validade.

Esse novo acordo tem como base o tratado de Schengen, que regulariza a entrada e saída de turistas nos 26 países europeus signatários.

O fato é, que a nova regra impede o viajante de até mesmo sair do Brasil, caso este não tenha um passaporte com validade mínima de 03 (três) meses DEPOIS DO RETORNO PREVISTO PARA O BRASIL!

Ou seja, se a pessoa pretende ficar por 10 dias na Europa (em um desses 26 países), no momento que for embarcar ainda aqui no Brasil, a validade do passaporte deve ser de no mínimo 03 meses e 10 dias. Se a viagem for de 01 mês (30 dias pela Europa), a validade mínima seria obrigatoriamente de 04 meses. 

E como vem sendo noticiado pela imprensa, devido a alta temporada de viagens no Brasil, os casos de pessoas impedidas de embarcar por desconhecimento dessa regra são diários. 

Atualmente além dos 26 países integrantes, 03 ainda estão em fase de implementação do acordo definido do tratado de Schengen:

Países que fazem parte do Tratado de Schengen

Assim, para se evitar imprevistos com a validade do passaporte, é importante solicitar um novo documento antes do vencimento do atual. E o 1.º passo para o processo de renovação é acessar o site da Policia Federal (CLIQUE AQUI) e preencher o formulário eletrônico de solicitação.

Após o preenchimento, você poderá emitir a GRU (Guia de Recolhimento da União) e a mesma deverá ser paga antes da data de vencimento — o valor fixo é de R$ 156,07.

Com a guia devidamente paga, o próximo passo é comparecer ao posto do Departamento de Polícia Federal, (deve-se escolher o posto no momento do pedido de renovação), com o comprovante de pagamento, protocolo de solicitação (que deve ser impresso) e documentos originais. É fundamental levar o passaporte antigo, mesmo que ele ainda esteja dentro do prazo de validade.

Cumprida essas etapas, segundo a Policia Federal, o novo passaporte sai em até 06 dias úteis (você pode acompanhar o andamento pelo site da PF), quando você deve retornar ao posto para retira seu novo passaporte.

Com tudo em mãos, hora de arrumar as malas e viajar!


Uma dica importante, principalmente para Orlando/Disney é a locação de um veículo durante a viagem. Uma verdadeira “mão na roda”. Principalmente porque em alguns casos, outros meios de transporte podem sair caro em vários sentidos. (fala-se muito em taxistas desonestos por exemplo. Sim, isso não ocorre só no lisarB amigos!!!)

Nosso carro, alugamos através do Ronaldo da “Orlando Ticket Online“. Seu serviço é muito bem avaliado e os comentários sobre seu atendimento e preços é quase que unânime.

Alugamos com ele para os 11 dias de viagem, um Standard Suv (Jeep Grand Cherokee) e obtivemos o melhor preço na Alamo Car Rental. O interessante dessa locadora, é que vc na verdade opta pelo modelo de veículo e chegando lá, na hora de realizar o check-in é encaminhado para o corredor dos Standard SUV, por exemplo, e escolhe o modelo de carro que mais lhe agrada dentro daquela categoria. Essa é uma grande dica na busca por carros mais “inteiros”, sem cheiro de cigarro e com porta malas maiores.

Obvio que nessa hora o que conta mesmo é o bendito do porta-malas. Sempre bate aquela preocupação de que todas as malas caberão ou não! hehehe…

E exatamente quanto a esta duvida, tive uma ótima dica com o Ronaldo novamente. Minha preocupação era quanto a ida para o aeroporto no último dia. Se as malas não couberem, como fazer?!?! Taxi, duas viagens, aperta tudoo do jeito que dá?!?!

Como exemplo a gente. Chegaremos com 3 a 4 malas e iremos embora provavelmente com 6 a 8. Ou seja o dobro. E só precisaríamos de um porta malas grande na hora de ir embora. O que pode ser feito então? Aluga-se um veiculo bem menor na chegada (com valor da diária bem menor consequentemente) e pegaria apenas um carro grande para ir embora no último dia.

Muitos podem perguntar: Mas ai não ficaria muito caro?! Acredito que não… Pois quando se chega e quase que todos os dias que se anda pela cidade com o carro, não utilizamos o porta malas do mesmo em sua totalidade. Só mesmo na hora de ir embora para o Aeroporto. E em praticamente toda cidade vc encontra pontos de retirada/entrega de carros locados. Assim, basta no último dia se dirigir ao local e fazer a troca, entregando o carro pequeno e saindo com o carro grande para ir ao aeroporto, onde vc também poderá entregar o carro.

Bom, essas são algumas dicas iniciais quanto a locação de veículos. Logo, logo volto a falar de mais assuntos relacionados, como a locação de gps ou não, contratação dos seguros obrigatórios entre outros.

Abraços.